Em 2015 sofri depressão e preciso desabafar algumas coisas


Bom, como quase ninguém aqui da blogosfera sabe da minha vida passada, irei esclarecer algumas coisas. Preciso mesmo desabafar e botar algumas coisas pra fora de alguma forma, e esse forma será escrevendo no blog.

Já avisando no começo dessa postagem que: Vai haver uma foto minha do meu braço em 2015, e não de agora. Agora ele está todo cicatrizado. O motivo dessa foto estar aqui? Sei que muitos de vocês não vão acreditar em mim, então uma foto não fará mal. 


Minha opinião sobre a série The End of The F**king World


Bem, para falar a verdade mesmo, esses foram os piores dias da minha vida. Passei raiva diversas vezes, tive crises existenciais bem fortinhas até, chorei até ter vontade de se matar e me decepcionei com algumas pessoas. Mas é a vida, não é mesmo? O mundo não é perfeito, mas há algumas coisas legais nele. Por exemplo, a comida é uma coisa maravilhosa que o mundo pode te oferecer. Toda vez que fico com raiva, triste, ansiosa ou algo do tipo, eu faço/pego algo pra comer. Simples assim.

Mas enfim, no dia oito de Janeiro, numa segunda-feira, bateu uma curiosidade das grandes em mim. Fui dar uma olhada nas séries novas que a Netflix colocou, e vi uma que me interessou bastante: The End of The F**king World. Nome grande, né? Mesmo tendo um nome longo, os episódios são bem "pequenos", digamos assim. Acho que foram uns onze episódios, não me lembro bem. Mas quando eu comecei a ver o primeiro episódio, eu pensei: "Uau, que série foda! Preciso terminar essa merda logo pra comentar com o bonde sobre ela".

Spoilers abaixo ;-;